Como funciona a internacionalização de empresas?

4 minutos para ler

A internacionalização de empresas é uma tendência, especialmente para mercados maiores e com moedas estáveis. Tais fatores fazem com que levar um negócio para o exterior se torne uma alternativa atraente para muitas companhias.

Essa opção se mostra ainda mais interessante ao analisar o potencial de ganho que pode ser obtido para a sustentabilidade e competitividade da organização. Contudo, existem determinados fatores que devem ser observados.

Se você tem interesse pelo assunto e deseja conhecer orientações sobre o processo de internacionalização de empresas e quando começar a pensar nessa estratégia, continue a leitura deste artigo que vamos apresentar mais detalhes. Confira!

O que é a internacionalização de empresas?

A internacionalização de empresas consiste no processo em que organizações passam a atuar em outras nações. Ela pode acontecer de maneiras distintas, como por meio da simples exportação de um produto para um país vizinho, por exemplo, ou pela abertura de uma unidade no exterior.

Nesse sentido, uma marca que consegue obter sucesso em seu processo de internacionalização é elevado a outro patamar. Contudo, para tanto, é fundamental agir com base em um planejamento sólido.

Atuar em outra localidade trata-se de um passo muito importante, pois isso quer dizer que a empresa vai se submeter a um novo conjunto de leis, sendo preciso se adequar a uma nova cultura e, ainda, conquistar um público diferente.

Quais são as principais dicas e cuidados sobre esse processo?

Agora que você já sabe o que é a internacionalização de empresas, deve estar se perguntando como colocá-la em prática, certo? Pensando nisso, preparamos algumas dicas e cuidados que devem ser adotados durante esse processo.

Identificação do mercado-alvo

Para que a internacionalização de empresas seja vantajosa, é preciso procurar identificar o mercado-alvo mais adequado. Isso quer dizer que antes de investir, de fato, tempo e dinheiro nesse processo, é preciso estudar o país que você deseja levar a sua marca para entender a cultura local.

Uma opção interessante é procurar o conhecimento de quem vive a realidade local e trabalhar com protótipos para testar e validar as ideias antes do lançamento oficial, por exemplo, a fim de prevenir relevantes prejuízos em caso de fracasso.

Conhecimento da legislação

Ao atuar em outro país, é preciso se empenhar para cumprir com os requisitos técnicos e burocracias exigidos pela legislação local, além de ser fundamental ter conhecimento sobre a sua legislação, pois as normas e regulamentações, em geral, são dinâmicas e as empresas precisam se adequar a elas.

Para evitar problemas relacionados a esse assunto, o ideal é contar com o auxílio de uma assessoria jurídica qualificada que tenha experiência em trabalhar com organizações internacionais.

Escolha dos parceiros corretos

Para apostar na internacionalização de empresas é possível apostar em parcerias que envolvem até mesmo outros modelos de negócio. É o caso, por exemplo, do joint venture, em que duas organizações fazem uma parceria para desenvolver um projeto por tempo determinado a fim de criar algo diferente.

Nesse caso, em geral, a parceria é feita com uma companhia nativa do país em que a organização deseja atuar. Por isso, não é preciso se preocupar com fatores como adaptação e adequação ao novo mercado, pois o seu parceiro já é um negócio estabelecido no local.

Agora que você já sabe como funciona a internacionalização de empresas, lembre-se de adotar os cuidados que apresentamos para que tudo ocorra conforme o planejado e o seu negócio tenha sucesso fora do país.

Para obter a melhor solução para a internacionalização da empresa no âmbito legal e contar com o auxílio de profissionais qualificados, entre em contato conosco da Escobar Advocacia e descubra como podemos ajudá-lo.

Você também pode gostar

Deixe um comentário