O que é NFT (non-fungible token)? Saiba quando é usado

4 minutos para ler

As novas tecnologias, como a Blockchain, trouxeram verdadeiras revoluções para o mercado. Uma das formas de se atualizar sobre o tema é entender o que é NFT (non-fungible token) e como esta nova tecnologia está afetando o setor de propriedade intelectual.

Para você conseguir entender a lógica por trás do NFT, preparamos este artigo explicando o que é esse ativo, como funciona e quais as aplicações. Então, confira os detalhes a seguir!

O que é NFT?

A sigla abrevia o termo em inglês non-fungible token (em português, token não fungível). Um token é o nome dado para a representação digital de um ativo na Blockchain. Não ser fungível quer dizer que ele é o único existente, que não pode ser substituído.

A Blockchain é uma tecnologia que possibilita gerar códigos verificáveis. Esses códigos são feitos de tal forma que é praticamente impossível de serem violados, pois todos eles são encadeados em sequência. Assim, é possível fazer transações seguras, com venda e compra de ativos digitais, como moeda (Bitcoin, Ethereum, dentre outras) e outros itens como os NFT.

Quando estamos diante de ativos fungíveis, isso quer dizer que eles podem ser substituídos por outros de igual teor, como é o caso da moeda. Assim, todos os Bitcoins são tokens fungíveis e tanto faz para o possuidor qual unidade ele tem: elas valem a mesma coisa.

No caso dos NFTs, só existe um de cada. Por isso, o valor de mercado dependerá do interesse sobre aquele token específico.

Como um NFT funciona?

Para emitir um NFT é necessário utilizar Blockchain, gerando um código que representará aquele token. Com isso, ele se transforma em um ativo digital único e negociável.

Dessa forma, as negociações de itens convertidos para códigos NFT se tornaram comuns, especialmente nas artes. Quando um artista tokeniza uma obra específica, ele emite um certificado eletrônico único de autenticidade para ser entregue ao adquirente.

Como o NFT influencia o mercado de propriedade intelectual?

O processo de transformação de informações em um NFT faz com que aquele item seja registrado por uma tecnologia de alta segurança (a Blockchain). Com isso, ocorre o registro dos dados, de forma inalterável e cronológica, semelhante ao que se faz em cartório, mas em ambiente digital.

Já existe um mercado de comercialização de vídeos, imagens, fotografias, colagens e outras obras de arte por meio de NFTs. Com isso, é provável que a prática se popularize ao longo dos anos, passando a se tornar uma forma bem aceita de registro dos direitos autorais e conexos.

Como o NFT pode ser criado de forma rápida e sem custos elevados, muitos o consideram um meio de exploração comercial de propriedade intelectual mais interessante que os tradicionais. No que se refere à proteção da propriedade intelectual, importante salientar, no entanto, que certas proteções legais, como as atribuídas às marcas e às patentes, ainda não são conferidas por meio de Blockchain. Por isso, é importante consultar um especialista para avaliar quais os ativos se pretende negociar por meio dessa tecnologia, seja para compra ou venda, de forma que não tenha problemas no futuro.

Entender o que é NFT é importante para identificar os motivos pelos quais essa tecnologia está gerando novos negócios na internet. Ainda assim, é essencial avaliar qual a proteção legal que se espera conferir a um determinado ativo intelectual, antes de optar pela tokenização. A melhor forma de se resguardar é consultando um especialista em propriedade intelectual para garantir a proteção básica aos direitos dos envolvidos na negociação.

Gostou do artigo? Para ficar sabendo de novos conteúdos como este, curta nossa página no Facebook!

Você também pode gostar

Deixe um comentário