O que são dados e qual a sua importância para as empresas?

4 minutos para ler

Na era da digitalização, na qual há grande substituição da informação física pela virtual, cada vez mais se discute o que são dados e qual a sua relevância para as estratégias da empresa.

Ao mesmo tempo, se faz necessário refletir sobre a segurança dessas informações nesse contexto, tendo em vista que a expansão das tecnologias faz crescer os ataques cibernéticos na mesma proporção em que torna os processos mais eficientes.

Tendo isso em vista, e pensando nas inúmeras dúvidas referentes ao tratamento adequado dos dados obtidos por empresas, elencamos alguns esclarecimentos preliminares sobre o tema. Confira!

O que são dados?

De maneira resumida, dados são observações específicas ou resultados de uma medição que não conseguem, por si só, transmitir uma mensagem. Assim, quem olha para eles isoladamente pode não ter interpretações abrangentes da realidade.

Os dados, vale lembrar, podem estar documentados tanto no formato físico quanto em ambientes virtuais.

Qual a diferença entre dado e informação?

As informações são, justamente, consequência do tratamento de dados. Trata-se, afinal, de um conjunto de dados interpretados que produzem um conhecimento mais profundo e abrangente. Como visto no tópico anterior, o dado, por si só, é uma constatação vazia de significado.

Como exemplo, poderíamos citar a documentação sobre a idade de determinado cliente em uma empresa. Nesse caso, a idade constitui um elemento bruto, porém, quando analisado em conjunto com dados sobre outros consumidores, pode entregar informações sobre o público-alvo.

Quais os tipos de dados existentes?

Há inúmeras maneiras de categorizar dados. Existem, entretanto, dois grupos mais abrangentes: dados qualitativos, que dizem respeito à qualidade de algo, e dados quantitativos, que revelam uma mensuração. Um feedback do cliente sobre a experiência de compra, por exemplo, seria qualitativo, uma vez que tem relação com a percepção pessoal dele.

Já a quantidade de vendas de um produto no mês é um dado que pode ser mensurado, ou seja, quantitativo. Há, ainda, como classificar os dados conforme o seu objeto de observação — por exemplo, dados pessoais, financeiros, de vendas, entre outros.

Qual a importância dos dados para as empresas?

Os dados, sem dúvidas, assumem papel central nas empresas atualmente. Isso porque servem como base para interpretar a realidade e elaborar estratégias eficazes e precisas para o desenvolvimento do negócio no mercado.

Dessa forma, o conjunto de dados deve ser visto como objeto de estudo para a expansão do empreendimento, o que não significa que ele não deva ser manuseado com extrema responsabilidade. Afinal, muitos deles também dizem respeito aos consumidores.

Dados pessoais de clientes, por exemplo, apesar de serem estratégicos, precisam ser encarados com os princípios éticos do negócio.

Qual é o papel da LGPD em relação aos dados?

Tendo em vista a necessidade de cautela no tratamento de dados pessoais, a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) assume justamente o papel de dar as diretrizes sobre o que são dados e estabelecer limites para o manuseio de informações do cliente.

Conforme a própria LGPD, são fundamentos da legislação a inviolabilidade da intimidade, o respeito à privacidade e a dignidade da pessoa humana. Trata-se, sem dúvidas, de diploma legal importante na era da digitalização, tanto para nortear as empresas quanto para garantir a segurança e o controle dos próprios dados pelos usuários.

Na era da digitalização, é cada vez mais importante saber o que são dados e de que modo eles devem ser tratados pelas empresas, ainda mais após a aprovação da LGPD. Até o ano de 2018, não havia regulamentação específica nesse sentido.

A partir de então, é fundamental entender em detalhes os limites para a coleta de dados e o manuseio estratégico deles para a estratégia do negócio. Lembrando, como sempre, que a conformidade às normas é indispensável para alavancar seu negócio e prezar pela sustentabilidade da organização no mercado.

Você também pode gostar

Deixe um comentário