Privacy by Design: qual sua relação com a LGPD?

3 minutos para ler

Com a busca cada vez mais constante por privacidade e com a preocupação de proteger dados pessoais de exploração indevida, legislações mais recentes trazem inovações na maneira com que as empresas efetuam o tratamento dos dados das pessoas físicas.

Seguindo o exemplo da Europa, que criou a GDPR (General Data Protection Regulation), o Brasil elaborou uma legislação específica para a proteção de dados pessoais sensíveis: a Lei Geral de Proteção de Dados, também conhecida por LGPD.

Juntamente com o advento da lei, se populariza o conceito de Privacy by Design. Mas afinal, o que é Privacy by Design e para que ela serve? Qual sua relação com a Lei Geral de Proteção de Dados? Como usar a Privacy by Design nas empresas? Respondemos esses questionamentos agora. Tenha uma ótima leitura!

Entenda o que é e para que serve a Privacy by Design

O conceito de Privacy by Design, também chamada de PbD, foi proposto pela diretora-executiva do Instituto de Privacidade e Big Data da Universidade de Ryerson (Ontário, Canadá), Dra. Ann Cavoukian. Ele consiste em estabelecer que todas as etapas do processo de desenvolvimento de um serviço ou produto sejam realizadas de forma a ter a privacidade como objetivo principal. Isso significa que, diferentemente de modelos anteriores, a privacidade é inerente ao projeto, não sendo um elemento inserido após o desenvolvimento para se adequar às legislações.

Veja qual a relação da Privacy by Design com a LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados estabelece quais são os papéis e responsabilidades das empresas com relação aos dados obtidos e tratados de seus clientes e colaboradores. Assim sendo, a adoção da Privacy by Design faz muito sentido dentro das diretrizes da legislação, permitindo que as empresas desenvolvam produtos e serviços de acordo com os preceitos legais.

Saiba como usar a Privacy by Design nas empresas

É possível adotar a Privacy by Design nos processos de desenvolvimento de novos produtos e serviços nas empresas, de forma que cada uma das etapas do desenvolvimento seja realizada visando garantir a privacidade dos dados pessoais. Isso também permite que esses processos sejam mais eficientes e rápidos do que uma readequação posterior.

Conheça a importância de ter suporte jurídico para sua aplicação

Como é possível entender, a privacidade é um direito cada vez mais valorizado. Por isso, a adoção da Privacy by Design tende a crescentemente ganhar espaço nas empresas de pequeno, médio e grande porte, sendo uma tendência para os próximos anos.

Nesse sentido, também torna-se bastante claro ser necessário contar com profissionais especializados para sua aplicação correta e eficiente. Além de garantir que o suporte jurídico esteja de acordo com as melhores práticas do mercado, um escritório especializado possibilita ter maior suporte para a tomada de decisões e para a aplicação da Privacy by Design pela empresa.

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário